Os benefícios de aprender a respirar mais devagar

Os benefícios de aprender a respirar mais devagar
Os benefícios de aprender a respirar mais devagar

Um adulto em repouso pode respirar em média cerca de 16 vezes por minuto. Aos 30 anos, você inspirou e expirou aproximadamente 250 milhões de vezes. Era de se supor que, com toda essa prática, seríamos todos especialistas em respiração. Será então que poderíamos aprender algo novo sobre esse instinto tão básico? A resposta é: sem dúvida. Aprenda a ter um controle maior sobre os pulmões e sinta os benefícios da saúde física e mental.

Descoberta científica

Cientistas estão descobrindo que uma determinada frequência de respiração de cerca de seis expirações por minuto pode ser especialmente restauradora, desencadeando um relaxamento corporal e cerebral.

Além de servir como inspiração para gurus de saúde e bem-estar, o exercício respiratório também começou a atrair a atenção de grandes empresas, que esperam que a prática possa ajudar funcionários a manter a mente focada e lidar com o estresse diário do trabalho.

Rampa para acelerar o relaxamento

A terapia respiratória foi inspirada em ensinamentos de textos antigos, especialmente nas escrituras hindu e védicas, que exaltam a importância do controle da respiração por meio de práticas como pranayama, exercícios respiratórios de ioga.

Tais terapias exigem que você mude ativamente a maneira como respira. Isso inclui respirar com o diafragma para encher os pulmões com mais ar e, ao mesmo tempo, diminuir conscientemente o ritmo da respiração em repouso.

De acordo com quem pratica, essas respirações lentas e profundas desencadeiam respostas fisiológicas em cascata que aceleram sua jornada a um estado de relaxamento mais completo, em comparação com exercícios mais passivos.

Amplificando ritmos básicos

Ainda não está claro exatamente por que a respiração lenta e profunda provoca todas essas mudanças, embora algumas hipóteses tenham sido levantadas.

Uma teoria promissora se concentra nos nervos localizados no tórax, cujos efeitos sentimos toda vez que enchemos os pulmões de ar.

“Basta respirar fundo para ver até que ponto é um ato mecânico”, explica Donald Noble, da Universidade Emory, nos Estados Unidos.

A tecnologia pode ajudar?

Há cada vez mais evidências sobre os benefícios da respiração profunda, ouvimos falar mais no poder da respiração controlada em livros e revistas, em programas de televisão e até mesmo no trabalho, à medida que mais empresas tentam ensinar técnicas respiratórias para ajudar os funcionários a gerenciar o estresse.

No futuro, nossa jornada rumo ao relaxamento profundo pode ser guiada por dispositivos que registram as respostas fisiológicas aos exercícios respiratórios.

Por exemplo, um experimento recente colocou os participantes em uma praia de realidade virtual ao pôr do sol. A variabilidade da frequência cardíaca deles foi ilustrada por nuvens no horizonte: quanto mais relaxados ficavam, mais claro ficava o céu.

Já existe uma infinidade de aplicativos para smartphone que se propõem a funcionar de maneira semelhante, embora nem todos tenham sido rigorosamente testados em relação à eficácia.

Portanto, não deixe de “aprender a respirar” e colha os benefícios físico e mental dessa prática. Gostaria de conhecer algumas técnicas de respiração? Conte para gente nos comentários.

Referências: noticias.r7.com

RECEBA MINUTO SAÚDE E BEM-ESTAR

VOLTAR AO BLOG

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *