A importância do ferro para a saúde

A importância do ferro para a saúde
A importância do ferro para a saúde

O ferro é um nutriente essencial para a vida e atua principalmente na fabricação das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo. Além disso, ele auxilia no crescimento saudável e na capacidade de aprendizagem das crianças, sem falar de sua importância no processo de resistência do organismo às infecções. Conheça os alimentos que contém ferro e os sintomas que a falta dele traz para o organismo.

A importância do ferro

O ferro é um mineral essencial. Ele é fundamental para o bom funcionamento das células e para a síntese de DNA e metabolismo energético. Na hemoglobina o ferro tem a função de transportar oxigênio para o músculo em atividade. Como componente da mioglobina, atua como fixador do oxigênio nas fibras musculares cardíacas e músculo esquelético, para proteger de lesão muscular durante os períodos da privação de oxigênio.

Além disso, ele desempenha papéis na produção de colágeno e elastina, dois componentes necessários na integridade do tecido conjuntivo, na manutenção do sistema imunológico, na produção e regulagem de vários neurotransmissores cerebrais e na proteção contra danos provocados por oxidantes.

Seus benefícios

Previne anemia: O ferro é um dos principais componentes da hemoglobina, pigmento das células vermelhas do sangue. A falta do mineral faz com que o organismo produza menos células vermelhas, o que irá caracterizar o quadro de anemia.

Faz bem para o coração: O ferro é importante para o coração porque é parte formadora de proteínas chamadas mioglobinas, que estão presentes no miocárdio e são responsáveis pela boa oxigenação deste músculo.

Bom para a imunidade: A presença de ferro ajuda a melhorar a imunidade porque este mineral age na manutenção do sistema imunológico. A deficiência de ferro contribui para falhas cognitivas incluindo menor desempenho neuropsicológico em bebês, crianças em idade pré-escolar e em idade escolar, adolescentes e adultos.

Essencial para a oxigenação: O ferro é essencial para o transporte de oxigênio para todo o corpo. Na hemoglobina transporta oxigênio para o músculo em atividade. Como componente da mioglobina, atua como fixador do oxigênio nas fibras musculares cardíacas e músculo esquelético, para proteger de lesão muscular durante os períodos da privação de oxigênio.

Fornece energia: O ferro participa no transporte e utilização do oxigênio para a produção de energia.

Bom para a pele: O ferro desempenha um papel na produção de colágeno e elastina, ambos componentes necessários na integridade do tecido conjuntivo. Por isso, é essencial para manter a saúde da pele.

Ideal para gestantes e crianças: É muito comum as gestantes e lactantes precisarem do suplemento de ferro. O mineral melhora a capacidade cognitiva e de aprendizado da criança, diminui o risco de morte maternal no parto e no pós-parto, melhora a resistência à infecções e é fundamental num crescimento saudável.

A falta dele no organismo

A falta de ferro no organismo acarreta na anemia ferropriva, a mais comum no mundo, sendo caracterizada pela baixa quantidade de células responsáveis por transportar oxigênio para todos os tecidos do corpo (os glóbulos vermelhos).

Essa anemia pode ser resultado da carência nutricional, ou perda expressiva de sangue e até em mulheres grávidas.

Os sintomas da insuficiência de ferro são:

– Cansaço extremo;
– Desânimo;
– Dificuldade para ficar atento;
– Pele pálida;
– Falta de apetite ou alteração no paladar.

O diagnóstico da falta de ferro no organismo precisa ser realizado por um médico, que vai solicitar exames laboratoriais como o de sangue.

O tratamento se dá por meio de suplementação e a ingestão de alimentos ricos em ferro. As necessidades diárias variam conforme a idade e sexo. Além disso, os exames deverão ser repetidos a cada três meses, para avaliar o processo de melhora do paciente.

Alimentos ricos em ferro

Uma das etapas do tratamento de anemia ferropriva é a alimentação balanceada, incluindo alimentos ricos em ferro nas refeições, além da suplementação indicada pelo médico. Confira abaixo:

– Vegetais: folhas verde-escuras, como couve, agrião, cheiro-verde;
– Carne vermelha: todas, incluindo fígado de qualquer animal;
– Leguminosas: feijões, grão-de-bico, ervilha, lentilha.

Além disso, nozes, castanhas, rapadura e açúcar mascavo.

É importante ressaltar que, além de incluir os alimentos acima em sua dieta, é necessário ingerir vitamina C, para aumentar a absorção. Uma laranja como sobremesa auxilia nesse processo, por exemplo.

Mas, existem alimentos que dificultam a absorção do ferro como, por exemplo, a cafeína. O ideal é conversar com um nutricionista e garantir um cardápio saudável durante e depois do tratamento.

Da mesma maneira, que devemos nos preocupar com a falta, também devemos ter atenção ao excesso. É importante ressaltar, que o excesso ferro caracteriza uma doença chamada hemocromatose. Portanto, para ter um plano nutricional especializado, o ideal é procurar um especialista.

Referências: minhavida.com.br; cellerafarma.com.br

RECEBA MINUTO SAÚDE E BEM-ESTAR

VOLTAR AO BLOG

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *