Assim como os adultos, crianças também apresentam problemas nos dentes que são resolvidos apenas com o uso de aparelho odontológico. Mas por estarem em fase de desenvolvimento, será que os baixinhos podem utilizar essa forma de correção? Com quantos anos já é possível utilizar esse método?

Confira a seguir mais informações sobre como o aparelho funciona e como as crianças podem usá-lo para corrigir problemas na estrutura bucal.

Crianças podem utilizar aparelho odontológico?

Resumindo: sim! Crianças podem utilizar esse procedimento, mas cada tipo de aparelho odontológico resolverá diferentes problemas, dependendo da necessidade da pessoa. Existem vários modelos como, por exemplo, o fixo, o lingual, o estético e o móvel. 

De acordo com a Associação Americana de Ortodontia, a partir de 7 anos de idade, as crianças já podem utilizar aparelhos, pois estão na fase que apresentam dentição mista, ou seja, possuem ao mesmo tempo os dentes de leite e os permanentes.

Ao contrário do que alguns imaginam, eles não servem apenas para melhorar a estética dos dentes, mas também para resolver o apinhamento (popularmente conhecido como dentes encavalados), a giroversão, a deglutição atípica, dificuldades na fala e a disfunção na mastigação.

Tipos de aparelho odontológico

Frequentemente, as crianças que tinham costume de chupar chupeta por bastante tempo desenvolvem a mordida aberta. Esse desvio gera uma projeção do osso e dos dentes superiores anteriores para frente, se distanciando dos dentes inferiores. Com isso, precisam ir ao ortodontista para encontrar soluções.

Uma delas pode ser o aparelho móvel, que é um dos mais recomendados para crianças de até 12 anos, pois é bastante eficaz. Ele mantém os dentes na posição correta, evitando o desalinhamento. Apesar de ser móvel, ele deve ser utilizado constantemente ao longo do tratamento. Do contrário, o resultado ideal não será atingido.

Outro aparelho bem comum é o fixo, pois ele é indicado para fazer a correção do alinhamento e nivelamento dos dentes. Ele exerce uma força mecânica sobre os dentes com as pequenas peças metálicas, como bráquete e o fio. Além disso, devem ser realizadas manutenções mensais e acompanhamento com um dentista.

Sendo assim, é essencial que o dentista faça uma avaliação profunda para indicar qual o tipo de aparelho odontológico certo para a criança que precisa de correção na óssea mandibular, maxilar, entre outros desvios na dentição. Dessa forma, os problemas são resolvidos antes que virem maiores no futuro!

A UFERJ tem uma tradição de 100 anos e nossos planos de assistência à saúde e bem-estar oferecem vários benefícios para você e sua família! Confira no site e continue acompanhando o nosso blog para mais informações!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *